segunda-feira, 4 de janeiro de 2016

Epifania do Senhor


Sabemos que os magos vindos do oriente não eram três e nem eram reis. No entanto, temos a certeza que o itinerário dos magos, que procuravam o cumprimento da profecia e o motivo da grande estrela nos céus, é igual ao nosso itinerário: um caminho rumo à verdade, um ir até Deus.
Três são as atitudes dos magos que nos inspiram e nos motivam à imitação:
1.       DESEJAR – Os magos não se dirigiram a Belém por caridade ou por devoção piedosa, mas movidos por um desejo. Desejavam a verdade, mesmo não sendo do povo de Israel ou não sendo crentes. Da mesma forma, dentro de nós habita um desejo de plenitude, um desejo do eterno, um desejo do infinito. Desejar a Deus é já descobri-lo, e se descobrimos uma presença, precisamos caminhar para ela!
2.       CAMINHAR – Sabemos bem que Deus não se esconde, mas sempre se deixa encontrar. No entanto, só é encontrado por aquele que deseja encontra-lo, buscando e esforçando-se. Nossa vida é caminhar, a exemplo dos homens do Oriente. Foram eles inspirados pelos céus, a criação divina, e pela profecia, a palavra divina. E quando se depararam com Herodes no meio do caminho, fora a Criação e a Palavra a não permitir que as trevas do tirano tomassem conta de seus corações. No nosso peregrinar humano, o que nos sustenta e afugenta as trevas da existência é sempre o amor ao Deus da Vida e a prática de sua Palavra!
3.       ADORAR – Adorar não é somente submeter-se a um outro, prostrando-se diante de seus pés, mas deixar tudo de si diante do adorado, tomando para si a vida adorada. Diante de Deus feito menino, feito frágil e muito humano, assumir a face de Deus! A nossa maior adoração é o abandono de nossas mesquinhas certezas cristalizadas em favor da única verdade. O que doamos a Deus? O que trazemos dele em nós? Como os magos voltaram diferentes do encontro com o Menino Deus, assim também nós precisamos voltar outros da nossa adoração cotidiana a Deus.

Reza antiga lenda que havia um quarto mago, portador do presente da paz. Entretanto, não conseguiu chegar até Belém e Jesus, só recebendo os três conhecidos dons, ficara muito sentido por não receber a paz. Contam que o quarto mago atrasara-se por ter sido sempre parado por pessoas atribuladas, infelizes, desesperadas, em busca de paz. Por fim, contam que esse mago ainda anda por aí. Você já o encontrou? Quando DESEJAMOS, CAMINHAMOS e ADORAMOS a Deus, vivemos em Paz!
Share this article :

0 comentários :