BRASÃO DO PAPA FRANCISCO

Brasão papal

BRASÃO DE SUA SANTIDADE PAPA FRANCISCO

O Escudo
Nos traços, essenciais, o Papa Francisco decidiu manter seu brasão anterior, escolhido desde sua consagração episcopal e caracterizado por uma simples linearidade.
O escudo azul é coberto por símbolos da dignidade pontifícia, iguais aqueles de Bento XVI (mitra posicionada entre chaves de ouro e prata entrecruzadas, unidas por um cordão vermelho). No alto, está o emblema da ordem de proveniência do Papa, a Companhia de Jesus: um sol radiante e flamejante carregado com as letras, em vermelho, IHS, monograma de Cristo. A letra H é coberta por uma cruz em ponta e três pregos em preto.
Abaixo encontram-se a estrela e a flor de nardo (cacho de uva). A estrela, de acordo com a antiga tradição araldica, simboliza a Virgem Maria, mãe de Cristo e da Igreja; enquanto a flor de nardo (cacho de uva) indica São José, patrono da Igreja. Na tradição da iconografia hispânica, de fato, São José é representado com um ramo de nardo nas mãos. Colocando no seu escudo tais imagens, o Papa pretendeu exprimir a própria particular devoção à Virgem Santíssima e São José.

O Lema
Sob o brasão encontra-se o lema do Papa Francisco: "Miserando atque eligendo" que, em latim, quer dizer "Com misericórdia o chamou".

As Chaves
É tradição, desde tempos imemoráveis, que o Sumo Pontífice tenha no seu brasão, em volta do escudo, as duas chaves "decussadas" (ou seja, colocadas em forma de cruz de Santo André), uma de ouro e a outra de prata: interpretadas por vários autores como símbolos do poder espiritual e do poder temporal. Elas estão colocadas atrás do escudo, ou acima dele, afirmando-se com certa evidência. O Evangelho de Mateus narra que Cristo dissera a Pedro: "Dar-te-ei as chaves do reino dos céus, e tudo o que ligares na terra será ligado no céu, e tudo o que desligares na terra, será desligado no céu" (cap. 16, v. 19). Por conseguinte, as chaves são o símbolo típico do poder dado por Cristo a São Pedro e aos seus sucessores. Portanto, elas encontram-se justamente em cada brasão papal.

A Mitra
O papa Francisco seguiu Bento XVI que, ao invés de encimar o brasão com a Tiara, como era costume de seus predecessores, trocou-a pela mitra. A mitra pontifícia representada no seu brasão, em recordação das simbologias da tiara, é de prata e tem três faixas de ouro (os três mencionados poderes de Ordem, Jurisdição e Magistério), ligados verticalmente entre si no centro para indicar a sua unidade na mesma pessoa.

Comentários

Celso disse…
Edvaldo, eu gostei da escolha. Me parece um homem muito simples .
abraço,
Celso, esta foi uma escolha iluminada pelo Espirito Santo, sem politicagens.

Quando o cardeal Bergoglio foi apresentado da Basílica Vaticana, logo lembrei de sua pergunta sobre qual cardeal que lembraria João XXIII. Penso agora que temos um diante de nós.
O Papa Francico congrega um pouco da grandeza de coração do Papa João, da firmeza do Papa Paulo, da humildade do Papa João Paulo I, da simplicidade do Papa João Paulo II e da sabedoria do Papa Bento XVI.
Fará um grande pontificado!!

Abraço! E obrigado pela visita!!

Postagens mais visitadas deste blog

Pia Luciani: “Será beato, mas para mim será sempre tio Albino”

Mãe de Deus, Mãe de nossa salvação

Epifania do Senhor