Poesia

Mais um verão no Brasil

No timbre da última nota, o laço.
No ponto do primeiro jota, o abraço.
Na ciranda do éter, criança.
Mais uma prece em Milão.
HORARIO-DE-VERAO-desde-o-inicio 
No pescoço uma corda, espaço.
No colo um filho, regaço.
Na chave uma porta, compasso.
Mais um tango em Berlim.
 
No copo de cristal, absinto.
Na fé no metal, absurdo.
Na vaidade venial, absoluto.
Mais um golpe em Havana.

DSC04868
 
A letra na pauta, falta.
O branco no papel, fel.
O machado no cerne, verme.
Mais uma guilhotina em Paris.
 
Dentro do dissidente, o crente.
Junto da cegueira, a ribanceira.
Na voz que calaram, libertaram.
Mais um sacrifício em Roma.

Comentários

Margareth disse…
Estava com saudade de ler t
uas escritas. E reiniciar assim foi bom demais.Bjos

Postagens mais visitadas deste blog

Pia Luciani: “Será beato, mas para mim será sempre tio Albino”

Mãe de Deus, Mãe de nossa salvação

Epifania do Senhor