sábado, 22 de setembro de 2007

ENSAIO


Caríssimos, os tempos modernos que à nossa porta batem e em nossos lares entram, são os principais incentivos de tudo o que presenciamos a olho nu. Uma nova cultura surge de mentes fracas para influenciar e atingir mentes mais debilitadas ainda. Acompanhamos tudo passivamente, como se esta crise, que chamamos de crise moral, não nos atingissem. Aqueles bons valores proferidos outrora, da visão mais pessimista, são hoje como água no deserto. Da visão mais otimista, e desta devemos compartilhar sem entrarmos em uma utopia, esses valores perduram por conta da fé, uma vontade interior inabalável que resiste às armadilhas a nós impostas. E devo alegrar-me por ainda existir uma maioria que opte pelos bons ensinamentos que nos transmitem, além de muitos outros, ordem e respeito.Mesmo aplicado nossos esforços, vemos uma ditadura preocupada com a casca, esquecendo que é o interior do fruto, na maioria das vezes, é o elemento mais importante. Vemos, além de tudo, uma busca incessante por um prazer que nunca será encontrado. O pseudo-sucesso proveniente de erros disfarçados leva a uma autoconfiança que se baseia simplesmente no próprio eu, sem considerar e desprezando aquilo tudo que aprendemos, principalmente o senso que guia uma vida rumo ao amanhã. Nestas mentes influenciáveis e além de tudo, decadentes, reina a fraqueza sustentada pela soberba que surge no ponto em que se pensa que são plenos portadores de toda e qualquer razão, tal soberba que diversas vezes há de levar ao fundo do precipício, este, cavado pelas próprias mãos. Só aí se percebe que essa corrente não é digna de confiança e que ainda sim, os valores esquecidos, pendurados na parede da memória do passado são de grande serventia em meio aos tempos atuais. Mas infelizmente, a essa altura, tudo pode ser tarde demais.Queremos que vossas senhorias vejam, enxerguem e percebam que certos rumos, que muitos tomam, podem levar a lugar algum. Que essa utopia, que exalta uma vazia vaidade e uma nada fundamentada ambição, seja derrotada por pessoas que acreditam na conservação do bem, de costumes e valores. Talvez, vejamos em nosso passado raízes dessa oca ditadura e não consigamos consertá-la, mas é sabido de todos que poderemos aniquilar esse mal em nosso futuro. Em nossas mãos, a chance de ver o sol nascer de uma outra forma. Vós outros que acreditais, levantai-vos, vamos.
Share this article :

1 comentários :

lucilia disse...

Edyyyy do meu coração de melão...

você é meu orgulho!!!

;)